Domingo, 26 de Julho, 2009

 

Chegou ao fim a minha estadia na Argélia, após um ano e meio, o trabalho que me trouxe até estas terras de Alá chegou ao fim. Foram uns meses muito bons onde aprendi a respeitar uma cultura e uma religião diferente da nossa.

Mas nem tudo foi bom, também houve momentos maus, momentos terríveis, nunca esquecerei que foi aqui que tive a pior batalha da minha vida, foi aqui que lutei por aquilo que mais amava, uma batalha que ainda não está ganha mas que está a seguir um bom caminho.

Não posso esquecer as amizades que por aqui fiz, este povo simples que me recebeu bem e sempre me tratou bem, a todos eles o meu obrigado.
Brevemente, irei voltar a casa… infelizmente por pouco tempo, pois outra aventura me espera. O destino desta vez será Angola.

Termino este ultimo post escrito na Argélia com mais uma musica .... uma musica dedicada ao meu amor, pois apesar do maus momentos que passamos, foi este amor  que me deu forças para aguentar este tempo todo aqui na Argélia.

 

 

 

 

sinto-me: feliz... vou para casa
música: Doce desejo
publicado por Passinhas às 12:31

Domingo, 19 de Julho, 2009

As férias terminaram..... de volta ao trabalho

sinto-me: com muitas saudades de casa
publicado por Passinhas às 16:47

Segunda-feira, 15 de Junho, 2009

Texto retirado do DN online do dia 14-06-2009

 

 

O mais radical e revolucionário dos programas mobiliza as iranianas: soltar os cabelos

Nos anos 90, a Argélia agonizava de medo dos fanáticos. Em Blida, vi pais a reconhecer os corpos das filhas que haviam sido raptadas e decapitadas por jovens barbudos piedosos. Estes, antes de as violarem, casavam-se com elas para, eles, não cometerem pecado. Dessa década e desse país - estive lá por três vezes - assisti também a gestos de coragem. Falo da mais difícil, da quotidiana. Daquela que, por exemplo, alia o rasar as paredes ao regressar a casa e, todos os dias, assinar uma crónica de liberdade num jornal. Esse "bilhetista" que conheci em Argel, viria a ser morto e dele aprendi que nenhum repórter enviado às guerras longínquas pode pretender ser corajoso comparado com os locais que vivem, cada dia, a opressão.

Mas foi um gesto gracioso o que mais esperança me deu pela Argélia. Num restaurante de Argel que eu frequentava, reparei que a empregada, ao passar pelo grande espelho da sala, olhava os seus cabelos soltos, abanava a crina e gostava decididamente do que via. Desde esse dia, desde essa minha visão, eu soube que a Argélia, mesmo que um dia caísse sob o jugo dos barbudos, haveria de se libertar. Graças à rapariga dos cabelos longos.

Voltei a vê-la, ontem. Por um qualquer milagre - dos únicos em que acredito, porque têm os frágeis homens e mulheres por protagonistas -, a rapariga do restaurante de Argel estava no Irão. Ontem, foi capa do DN e do Público, e também de vários jornais europeus. Os óculos escuros, de marca, cortavam-lhe infelizmente o grande e belo nariz, mas lá estava a cara divina (desse único divino, tenho de o dizer?, de que sou devoto), sobrancelhas graciosas, boca polposa e carmesim, queixo firme. E, sobretudo, madeixas rebeldes de cabelos castanhos aos quais um lenço roxo e floreado não recatava mas expunha todo o esplendor feminino.

A rapariga de Argel agora iraniana mostrava as suas mãos como testemunho. A esquerda abria a cédula de identidade, onde se via a foto de um pequeno corvo submetido - ela própria, com o hidjab escondendo o que não devia. Mas a sua mão direita erguia o indicador, como o gesto de Adão, no fresco da Capela Sistina, à procura do sopro da vida. Ela acabara de votar e o dedo estava marcado do roxo que tão bem ia com a cor do lenço - a graciosidade, como vos tenho dito nesta crónica, é libertadora. Aquela foto - de facto, aquelas fotos, os benditos enviados das agências Reuters e AFP esmeraram-se com a rapariga, ter-lhes-á acontecido a mesma epifania que a mim no restaurante de Argel - aquelas fotos anunciaram os resultados definitivos, irrevogáveis e inevitáveis das eleições do Irão.

O pobre diabo, feio e baço do Mahmoud Ahmadinejad ousou dizer que foi ele que ganhou. Mas pelas últimas notícias oiço que faz sol nas ruas de Teerão, iluminando a verdade. A rapariga ganhou.

 

Texto de Ferreira Fernandes, Diario de Noticias 14-o6-2009

sinto-me: Pensativo
publicado por Passinhas às 10:16

Segunda-feira, 16 de Fevereiro, 2009

 

 

sinto-me: Um turista....
publicado por Passinhas às 15:18

Sábado, 14 de Fevereiro, 2009

Quem é que disse que na Argélia se come mal?

Para se comer bem na Argélia basta ter alguns dotes culinarios,imaginação e alguém que ajude.

Não me considero bom cozinheiro, estou mais no grupo do "eu ajudo"... a fazer e a comer é claro !!

Este fim de semana foi repleto de imaginação... como se pode ver pelas fotos nem sequer faltou o tradicional pastel de nata...

 Pasteis de nata

sinto-me: com vontade de comer em casa
tags:
publicado por Passinhas às 09:35

Domingo, 08 de Fevereiro, 2009

Mais uma semana .....  24 dias para chegar a casa, o tempo custa a passar.

Mas basta um novo projecto e o mundo parece que volta a renascer, e o sol volta a brilhar.....

Esta foto foi tirada no dia em que sol voltou a brilhar... uma estatua  deixada na Argélia pelos Europeus a muitos anos.....

 

 

sinto-me: Um Engenheiro
tags:
publicado por Passinhas às 13:28

Terça-feira, 13 de Janeiro, 2009

Um ano, faz hoje um ano que cheguei aqui pela primeira vez.

Um ano muito bom em novas experiências profissionais, mas um ano péssimo a nível pessoal.
Um ano em que conheci uma cultura e uma religião totalmente diferente da nossa, um país onde a corrupção fala mais alto, onde a pobreza está a frente dos nossos olhos e onde a gasolina apenas custa 23 cêntimos e uma garrafa de água custa o triplo

Um país  perigoso, onde não ha regras no transito, mas somos multados se vamos a mais de 80km/h na auto-estrada, em que as barreiras policiais são uma constante.

Um país onde as mulheres ainda não conquistaram a sua liberdade e o homem é o todo-poderoso.

Posso dizer que passei um ano recheado de novas descobertas e com muito trabalho, onde passei por muitas situações más, mas no dia que partir de certeza absoluta que não fico com saudades.....

sinto-me: Penstivo
publicado por Passinhas às 17:57

Quarta-feira, 19 de Novembro, 2008

 


Peixe no sal, restaurante  Les Gazelles -  Arzew, Argélia

sinto-me: Doente... muito doente
publicado por Passinhas às 12:53

Domingo, 09 de Novembro, 2008

Finalmente voltei, após um mês de ausência devido a problemas técnicos, estive sem Internet mais de um mês, mas parece que agora as coisas estão a voltar a normalidade lentamente....

Ah!! Consegui fotografar a chegada do técnico e do seu ajudante, foi um momento espectacular...

argelia

sinto-me: Bem disposto
publicado por Passinhas às 13:21

Segunda-feira, 29 de Setembro, 2008

Um reencontro na Argélia :

sinto-me: Bem disposto
publicado por Passinhas às 11:07

mais sobre mim
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

21
22
23
24
25

27
28
29
30
31


pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro